Construção & Isolamento Térmico

Desafios na construção sustentável e como vencê-los

Como vencer os desafios da construção sustentável

Evoluir e acelerar o desenvolvimento técnico do setor da construção por meio da inovação são ações fundamentais para a garantia de um futuro melhor e mais sustentável

Suprir as necessidades atuais e garantir que gerações futuras também possam usufruir dos recursos do planeta tem sido um grande desafio das empresas.

Segundo a ONU, até 2050, o número de pessoas habitando o planeta deve chegar a nove bilhões e, se não houver uma mudança desde já, será necessário triplicar o tamanho do mundo para atender a essas necessidades.

De acordo, com o World Green Building Council, um dos setores que mais consome recursos é o da construção civil, quase 40% das emissões de dióxido de carbono da atmosfera. Estima-se que um terço de todo o consumo de energia do planeta deva-se a esse segmento. 

Diante deste cenário, a construção de edifícios sustentáveis é ainda mais significativa. Porém, o setor ainda enfrenta um grande desafio para aliar o desenvolvimento à sustentabilidade, que vai além do consumo mais eficiente de água, energia ou controle na emissão de gases: a conscientização sobre as vantagens da construção sustentável a longo prazo.

Vantagens da construção sustentável

Você sabe, por exemplo, que os painéis de isolamento térmico com tecnologias de poliuretano (PUR) e de poliisocianurato (PIR) oferecem isolamento térmico de alta eficiência, gerando economia no consumo de energia?

Calcula-se um gasto energético mensal até 60% menor em construções feitas com estes painéis. Além disso, eles deixam o peso estrutural da obra de 70% a 90% mais leve e atendem a todas as regulamentações de durabilidade e segurança vigentes nos países da América Latina. Uma obra interessada em obter certificados de sustentabilidade como LEED e AQUA-HQE pode ter uma vantagem significativa pelo uso de painéis. 

Outra vantagem é que eles podem ser produzidos e moldados em diversas densidades e dimensões para diferentes aplicações e podem ser utilizados na construção modular, que é mais rápida, mais eficiente, deixando a obra mais limpa e não necessitando do uso de água na instalação.

“O uso dos painéis de PUR e de PIR já é bastante difundido na Europa e nos Estados Unidos na construção civil e refrigeração e destaca-se pelo uso em edificações mais seguras,  sustentáveis e eficientes energeticamente. Na América Latina, tem crescido significativamente ano após ano seguindo os mesmos direcionamentos. As tecnologias Voratherm e Voracor de poliisocianurato (PIR) da Dow, proporciona aos fabricantes de painéis sanduíche, excelentes propriedades de isolamento térmico, produtividade, processabilidade e contribui,  principalmente,na questão da segurança contra o alastramento do fogo em caso de incêndio”, explica Talita Cassiano, Gerente de Marketing de Poliuretanos da Dow, empresa líder em ciência de materiais que está cada vez mais empenhada em estimular e acelerar a adoção de novas tecnologias.

“O uso dos painéis de PUR e de PIR, destaca-se também por trazer maior eficiência energética, redução no consumo de energia dos equipamentos de ventilação ou calefação, e por consequência, reduzem a pegada de carbono das edificações ”, completa.

Soluções inovadoras para construções já existentes

A espuma rígida de poliuretano em spray, ou spray polyurethane foam, também tem sido bastante utilizada na construção civil sustentável. Versátil, o spray é formado pela reação química entre o poliol e o isocianato e, depois de curado (seco), forma um selante de alta densidade, contínuo e sem junções, que funciona como uma barreira rígida que adere a diversos substratos, como como madeira, cimento, cerâmica e vidro.

O poliuretano rígido em spray possui propriedades de isolamento acústico e resistência ao fogo e também é capaz de manter a temperatura de conforto no ambiente com redução do uso de ventilador, ar-condicionado ou aquecedor. Além de ser um benefício para o usuário ou empresa, que consome menos energia e economiza na conta de eletricidade. A eficiência energética é um atributo e tanto em questão de sustentabilidade.

“Um dos benefícios mais importantes da espuma rígida em spray formada a partir da linha de produtos da Dow Voracor™, é que ela pode ser usada em novos projetos ou para manutenção de obras comerciais e residenciais já existentes, tanto em placas de madeira quanto em revestimento de gesso, telhados ou cimento. O isolamento térmico proporcionado pela espuma rígida de poliuretano em spray impacta na eficiência energética dos usos de equipamentos de climatização ou calefação, e consequentemente, na redução do consumo de eletricidade. Mas a economia proporcionada pelo material vai além. Aplicada com equipamento e pistola de alta pressão, ela evita o desperdício: o material se expande para ocupar toda a superfície a ser preenchida”, diz Talita.

Aceleração do movimento sustentável

No início do ano, mesmo no meio de uma pandemia global, a Dow anunciou o aumento de esforços voltados à sustentabilidade. Comprometeu-se não só a melhorar o próprio desempenho em mitigação de carbono, mas também a trabalhar em colaboração com clientes e sociedade. Um exemplo disso está na parceria com o Comitê Olímpico Internacional (COI) para reduzir as emissões de gases do efeito estufa e neutralizar as emissões de carbono. Clique aqui para saber mais sobre esta parceria.(link em inglês) 

A proposta da Dow é seguir desenvolvendo produtos mais sustentáveis, continuar reduzindo a pegada de carbono e avançando na eficiência das operações de suas fábricas ao redor do mundo e cuidar da gestão de resíduos e incentivo à economia circular. 

A América Latina desempenha um papel fundamental e estratégico nessa jornada. Segundo dados da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) sobre as mudanças climáticas, a região é responsável por menos de 10% das emissões globais totais de gases de efeito estufa, mas é particularmente vulnerável aos impactos negativos das mudanças climáticas. Com 13% da massa terrestre do planeta, abriga uma grande proporção de diversidade biológica, porém, nos últimos 15 anos, perdeu 96 milhões de hectares de florestas.

Por outro lado, detém importantes recursos energéticos renováveis, com cerca de 25% do potencial hidrelétrico mundial, um alto potencial de energia eólica e solar e abundantes recursos energéticos geotérmicos. Essas matrizes energéticas posicionam a região com boas oportunidades para uma economia de baixo carbono.

Um terço de todos os resíduos urbanos gerados na América Latina ainda acaba em aterros sanitários ou no meio ambiente e apenas 10% de tudo o que é coletado são reaproveitados por meio da reciclagem ou de outras técnicas de recuperação de materiais, de acordo com dados do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma). O engajamento na transição de uma economia linear para uma que redesenha, recicla, reutiliza e remanufatura, elimina o descarte de resíduos, protege o meio ambiente, promove inovação e novas oportunidades de negócios.

Projeto Construtores do Amanhã promove inovação e sustentabilidade

A iniciativaConstrutores do Amanhã, recém-lançada no portal Mundo PU e parceira no projeto do COI para a mitigação do carbono, visa divulgar soluções para tornar as edificações sustentáveis e campeãs em eficiência energética, por meio de debates, informações, consultorias e guias para evoluir e acelerar o desenvolvimento técnico do setor da construção por meio da inovação e sustentabilidade.

Comentários