Construção & Isolamento Térmico

Conheça algumas certificações que incentivam e aceleram a adoção de práticas de construções mais sustentáveis

O poder da eficiência energética para a obtenção de certificações 

Selos de sustentabilidade têm muito valor no mercado da construção civil hoje. Com materiais e soluções que reforçam a eficiência energética, conquistar uma certificação fica mais fácil 

Seguir preceitos de sustentabilidade é cada vez mais imperativo na construção civil. Conhecido por seus profundos impactos no entorno, o setor tem lançado mão, nas últimas décadas, de inovações que reduzem o uso de matéria-prima, a geração de resíduos, o consumo de água e energia e, ainda, que aumentam o bem-estar dos usuários da edificação. Uma obra que lança mão dessas adequações pode ser reconhecida com uma certificação ambiental.

As certificações ambientais dão credibilidade a uma obra, ao mesmo tempo em que atestam a responsabilidade ambiental e social empresa responsável por ela e atraem clientes alinhados aos princípios da sustentabilidade.

Mas os benefícios financeiros são ainda mais diretos: uma abordagem sustentável para uma obra é capaz de torná-la mais rápida e com um canteiro de obras menos depende de recursos naturais. Os painéis de isolamento térmico de poliuretano e poliisocianurato são exemplo disso: usados de forma estrutural ou complementar, eles reduzem em até dez vezes o tempo de edificação e a instalação dos painéis não consome uma só gota de água, diferentemente de uma construção úmida.

O projeto Construtores do Amanhã visa divulgar soluções para tornar as edificações sustentáveis e energeticamente mais eficientes. Para isso, promove informações para acelerar o desenvolvimento técnico do setor da construção por meio da inovação e sustentabilidade. 

Acompanhe aqui nesta plataforma diferentes debates sobre novos modelos construtivos, tendências, métricas e regulamentações de sustentabilidade e qualidade na construção civil latino-americana.

Conheça duas importantes certificações ambientais utilizadas na construção civil latino-americana e confira dicas de como adequar-se a elas. 

BREEAM

Desenvolvido pela instituição inglesa Building Research Establishment (BRE), a certificação Breeam abrange empreendimentos residenciais, comerciais e industriais no mundo todo e é reconhecida por seu alto nível de exigência, especificação e detalhamento. 

A fácil adaptação a diferentes zonas climáticas e a facilitação na obtenção por meio de certificações locais fazem do Breeam a certificação mais utilizada no mundo, com empreendimentos certificados em 77 países.

Para que o Breeam seja conquistado, nove categorias de uma edificação são analisadas: gestão, energia, água, transporte, materiais, poluição, saúde e bem-estar, uso da terra e resíduos. Em cada uma delas, são observados atributos como design de baixo impacto, adaptação às mudanças climáticas, durabilidade e resistência, proteção da biodiversidade e redução das emissões de carbono. 

As categorias somam créditos, que concedem títulos (ou níveis), que vão de Pass (com 30 pontos) a Outstanding (mais de 85 pontos). O resultado é uma certificação personalizada, que atende também a projetos não convencionais em busca de alto grau de sustentabilidade.

LEED

O Leadership in Energy and Environmental Design – LEED, da Green Building Council, é a certificação ambiental que atesta a eficiência energética e hídrica de uma construção. 

Trata-se do principal selo ambiental voltado à construção civil, que analisa a sustentabilidade de projetos, da obra e da operação das edificações. Para tanto, considera oito critérios: localização e transporte, espaço sustentável, eficiência do uso da água, energia e atmosfera, materiais e recursos, qualidade ambiental interna, inovação e processos, e créditos de prioridade regional.

A certificação LEED é usada nos cinco continentes e fomenta a competitividade em um setor que, cada vez mais, busca aliar produtividade e sustentabilidade a menores custos.

Com diferentes modalidades, a certificação pode ser atribuída a: novas construções e reformas de grande impacto (LEED BD+C), interiores (LEED ID+C), operações e manutenção de edifícios já existentes (LEED O+M), desenvolvimento de bairros (LEED ND), partes ou totalidade de uma cidade (LEED Cities and Communities), projetos de redução de emissão de carbono (LEED Zero), projetos já certificados (LEED Recertification) e residências (LEED Homes). 

Independentemente da modalidade, a certificadora analisa se (e como) o empreendimento utiliza materiais sustentáveis e pensa a qualidade do ambiente interno e a eficiência hídrica e energética.

De acordo com a pontuação alcançada, a certificação é emitida nos níveis Certificado (40 a 49 pontos), Prata (50 a 59), Ouro (60 a 79) ou Platina (acima de 80 pontos). 

Interessado em pleitear pelo selo LEED? Defina a tipologia do projeto e registre-o no LEED Online, conforme sua classificação. 

Poliuretano e poliisocianurato em prol da eficiência energética

Sistemas de reaproveitamento de água, descarte adequado de resíduos, condições para um ambiente saudável de trabalho e, principalmente, processos que levem a uma maior eficiência energética são soluções que podem encurtar o caminho até a conquista de uma certificação de sustentabilidade. 

A eficiência energética pode ser otimizada de diversas formas, como por exemplo implementando domo de iluminação natural – mais eficiente que as janelas na redução do uso de lâmpadas durante o dia – e sistemas de ventilação natural, que dispensam climatizadores e exaustores.

Outra solução cada vez mais utilizada na construção civil para aumentar a eficiência energética é o isolamento térmico do ambiente com poliuretano (PUR) e poliisocianurato (PIR). 

Os painéis sanduíche (chapas metálicas recheadas de PUR e PIR) têm alto poder de isolamento térmico e, quando utilizados como parede ou cobertura de um edifício, são capazes de manter uma temperatura de conforto no ambiente reduzindo o uso de aquecedor e ar-condicionado. Estima-se que uma construção feita, inteira ou parcialmente, com painéis de isolamento térmico de poliuretano e poliisocianurato provê uma temperatura interna até 10oC menor. 

Assim, construções que contam com painéis de isolamento térmico de poliuretano e poliisocianurato estão alguns passos mais próximas de conquistar certificações ambientais como o Breeam e o LEED.

O programa argentino de classificação energética residencial

Saber quão energeticamente eficiente é uma casa é o primeiro passo para adequar seu consumo energético, especialmente se há interesse em obter uma certificação ambiental para o imóvel. 

A Argentina conta com um selo de eficiência energética de residências, que revela o consumo energético de um imóvel, de A a G, de acordo com suas características arquitetônicas. Cada faixa indica o quanto de energia primária é necessário, naquela casa, para aquecer o ambiente no inverno, refrigerá-lo no verão e manter o abastecimento de água quente e iluminação. As faixas são sempre medidas durante o período de um ano e por metro quadrado de superfície. 

Mais informações sobre o Programa Nacional de Etiquetado de Viviendas da Argentina podem ser encontradas em: 

https://etiquetadoviviendas.energia.gob.ar/

Comentários